Ramon Kayo

Newsletter


Entusiasta dos pequenos negócios, mantém um pequeno negócio de desenvolvimento de sites e um espaço de coworking. Compartilha ideias de como ser mais criativo e produtivo.

Ramon Kayo

Ouvir música ajuda na produtividade?

Ouvir música ajuda ou atrapalha na produtividade?

Ramon KayoRamon Kayo

É bem provável que você esteja de fones agora – e não há nada de errado nisso, eu também estou. A maior parte do meu dia de trabalho é assim, ouvindo música. Há quem não goste, mas boa parte das pessoas que eu conheço ouve música durante o expediente de trabalho, seja para relaxar ou para melhorar o foco. A questão é: ouvir música ajuda ou atrapalha?

Existe uma hipótese recente de que a música está relacionada a um antigo comportamento de sobrevivência. Ela se baseia em um experimento realizado com 96 crianças de 4 anos que revelou que as crianças são mais colaborativas após cantarem e dançarem juntas. Como somos animais sociais, que dependem do trabalho em grupo, esse estudo dá à música um papel importante na sobrevivência da espécie.

E o que isso tem a ver com produtividade? Bem, o nosso cérebro libera dopamina, um neurotransmissor que causa prazer, quando realizamos algum comportamento de sobrevivência. E por isso, também libera dopamina quando ouvimos música.

Além disso, o cérebro também nos recompensa quando conseguimos antecipar alguma coisa – sim, prever o futuro, que também é um comportamento importante para a sobrevivência. Como as músicas possuem métricas e harmonias comuns, o nosso cérebro consegue antecipar muitos sons e acaba liberando recompensas.

Então, primeiro ponto: música causa prazer. Isso melhora o humor, relaxa a musculatura, diminui a ansiedade e mais uma porção de coisas que, teoricamente, melhoram a produtividade. Mas esse é só um lado da moeda.

Música consome bastante processamento cerebral. O nosso cérebro processa todos os dados que chegam através dos sensores (olhos, língua, ouvido, etc) e com a música não é diferente. Quando ouvimos música, as áreas do córtex cerebral relacionadas à linguística e à resolução de problemas lógicos são ativadas e isto pode atrapalhar certas tarefas. Imagine que você está conversando com alguém e escrevendo um email ao mesmo tempo. Você sabe que vai se confundir. Pode ser que o mesmo aconteça se você estiver ouvindo música e escrevendo um email.

Portanto, segundo ponto: a música toma processamento cerebral, especialmente de áreas do córtex relacionadas à linguística e à resolução de problemas, o que pode piorar o desempenho em certas tarefas.

Bem, e aí, música ajuda ou não? Depende. Depende da combinação entre música e tarefa.

A melhor música para tarefas repetitivas e/ou não linguísticas

Para realizar tarefas simples como dirigir, empilhar caixas, arrumar o escritório, salvar imagens, a música ideal é aquela que você gosta. Aquela que você canta no chuveiro. Esse tipo de música vai aumentar o nível de dopamina no seu organismo e garantir todos os benefícios desse neurotransmissor. Adicionar algumas músicas novas na playlist podem estimular ainda mais o seu cérebro. Todavia, cuidado com tarefas que envolvem escrita e leitura, como preenchimento de formulários, atualização de planilhas, etc. Algumas sugestões:

A melhor música para tarefas complexas de domínio

Para aquelas tarefas complexas que você domina, tem habilidade plena, a melhor música é a de tom constante, relaxante. O nosso cérebro está sempre tentando antecipar eventos e o mesmo vale para música. Gêneros que tenham repetições e poucos vocais, como música eletrônica ou alguns tipos de jazz, tomam menos esforço cerebral, deixando mais capacidade para processar a tarefa. Algumas sugestões:

A melhor música para o aprendizado ou tarefas complexas

Como você já deve ter imaginado, o ideal aqui são músicas que exigem pouco do cérebro e o estimulem somente o necessário. Música clássica é uma boa pedida, mas não é a única opção. Uma alternativa é utilizar trilhas sonoras de videogames – sim, isso é sério. As trilhas de jogos são desenvolvidas para estimular o jogador sem comprometer sua concentração e por isso, muitas vezes, caem como uma luva na hora de trabalhar em algo complicado. Algumas sugestões:

Um detalhe sobre barulhos no ambiente

Uma estudo de 2012 revelou que um pouco de som ambiente pode fazer bem para a criatividade. E não precisam ser sons da natureza, como o som da chuva e de pássaros: barulhos de escritório também ajudam. Esses sons podem ser combinados com música para produzir o efeito adequado. Algumas sugestões:

Abaixo, alguns sites que podem te ajudar com barulhos de ambiente:

Entusiasta dos pequenos negócios, mantém um pequeno negócio de desenvolvimento de sites e um espaço de coworking. Compartilha ideias de como ser mais criativo e produtivo.