Ramon Kayo

Newsletter


Entusiasta dos pequenos negócios, mantém um pequeno negócio de desenvolvimento de sites e um espaço de coworking. Compartilha ideias de como ser mais criativo e produtivo.

Ramon Kayo

Os 3 maiores problemas da Técnica Pomodoro e como contorná-los

Entenda os três maiores problemas da Técnica Pomodoro e veja como contorná-los utilizando soluções simples

Ramon KayoRamon Kayo

Se você não está familiarizado com a Técnica Pomodoro, leia o texto “O que é a Técnica Pomodoro e como funciona?”.

Houve uma época, lá em 2009, 2010, que todos os blogs começaram a falar sobre a tal Técnica Pomodoro. Todo mundo correu para experimentar, inclusive eu. De fato, é algo muito legal e que realmente ajuda a manter o foco no trabalho. Mas quem já usou sabe: não dá para levar todas as regras ao pé da letra.

O tempo do pomodoro não se adapta a tudo

Segundo o criador da técnica, cada pomodoro deve ser dedicado a uma, e somente uma, tarefa. A técnica prevê o caso de você terminar uma tarefa antes de 25 minutos e diz que, neste caso, você deve revisar a tarefa até o término do tempo. O problema é que “ligar p/ fulano”, por exemplo, pode levar só 2 minutos e não há o que revisar. Não dá para passar 23 minutos pensando “eu liguei mesmo e ele disse ‘okay'”.

Outro exemplo é quando o pomodoro termina e você sabe que poderia finalizar a tarefa com mais alguns minutos. A regra diz que quando o pomodoro termina você deve parar imediatamente e dedicar o tempo da pausa para outras coisas, que não sejam relacionadas ao trabalho. O problema é que isso causa um certo desconforto, porque você sabe que o próximo pomodoro vai ser perdido e, ao mesmo tempo, se você não cumprir a regra, vai ficar com aquele sentimento de que está trapaceando.

Como contornar este problema:

O primeiro passo é deixar claro para você mesmo que você vai alterar as regras para produzir mais. Isso vai lhe aliviar do sentimento de que está trapaceando. Daí para frente, sempre que o cronômetro apitar e você sentir que está quase terminando uma tarefa, ignore o cronômetro e continue trabalhando, sem contar o tempo da pausa. Termine e siga em frente.

No caso de ter uma tarefa muito pequena para um pomodoro, liste-a em uma seção “Pequenas Tarefas”. Então crie uma nova etapa entre o pomodoro e a pausa, onde você vai executar apenas uma das “Pequenas Tarefas”. É importante que você só passe por essa etapa se não tiver estourado o tempo do pomodoro para finalizar algo.

As pausas atrapalham certas tarefas

A cada pomodoro deve ser feita uma pausa de 5 minutos, exceto a cada 4 pomodoros, quando a pausa deve ser de 30 minutos. Segundo o criador da técnica, as pausas servem para recompensar o cérebro pelo tempo de trabalho focado. O problema é que muitas vezes estamos tão concentrados em algo que a pausa acaba atrapalhando. Isso acontece porque algumas tarefas são como a leitura de um livro: se você não parar em pontos específicos, vai acabar perdendo tempo depois para entender onde estava e o que estava acontecendo.

Como contornar este problema:

Quando o cronômetro apitar e você sentir que deveria continuar, anote que você vai pular uma pausa, reinicie o cronômetro e comece um novo pomodoro. Então, quando você decidir que chegou a hora de fazer uma pausa, tome os 5 minutos previstos e, se necessário, some o tempo que você economizou de outras pausas. Utilize este tempo com qualidade para recompensar o cérebro, como deve ser. Tome um café, entre no Facebook, leia um blog.

É quase impossível conter pausas externas

A técnica, a rigor, diz que você deve evitar interrupções externas e postergá-las até o fim do pomodoro. Caso seja uma urgência e você precise parar o pomodoro, então o pomodoro não deve ser contado. Nem mesmo se você trabalhou 22 minutos antes de ser interrompido.

Mesmo que você avise todo mundo no escritório de que você está trabalhando desta maneira, ainda assim as pessoas vão vir falar como você, o telefone vai tocar e um email urgente vai cair na sua caixa de entrada. Não dá para evitar as pessoas sem ser um chato. Também não dá para pedir que seu chefe espere 17 minutos e 26 segundos porque você está em um pomodoro.

O pomodoro tem que lhe ajudar a ter foco e evitar a procrastinação, mas não deve lhe tornar um anti-social. Eu já tentei cumprir a regra a risca e pedir para as pessoas esperarem um pouco. A única coisa que isso me trouxe foi o sentimento de ser o cara mais chato da sala. Claro que você deve lidar com casos extremos, por exemplo, um colega que fica o dia inteiro lhe chamando para ver besteira no smartphone dele. Resolva estes problemas, mas não negue de tomar café com todo mundo por causa de um pomodoro.

Além disso, não contar os pomodoros faz com que suas estimativas fiquem erradas. Imagine que você tentou fazer 15 pomodoros em um dia e foi interrompido em todos, sempre depois dos 20 minutos. Seu relatório de pomodoros vai dizer que você não trabalhou, porque não há nenhum pomodoro anotado, mas isso não é verdade.

Como contornar este problema:

Evite as interrupções internas, aquelas que partem de você, mas deixe que as interrupções externas aconteçam. Mesmo as mais fúteis. Os relacionamentos são importantes e você não deve abrir mão disso. Só atente aos casos crônicos.

Se o pomodoro estiver em menos de 15 minutos quando uma interrupção acontecer, respeite a regra: considere como um pomodoro perdido. Caso o pomodoro dure mais de 15 minutos e você seja interrompido, marque apenas metade de um “X” – um traço, “\”. Quando este caso se repetir, complete algum dos “X” incompletos – com outro traço, “/”. Assim você não perde completamente a contagem de pomodoros.

Conclusão

Nenhuma técnica é definitiva, porque cada um é cada um. Só você sabe como funciona o seu processo de trabalho. A regra de ouro é: não há regras. Altere tudo que for necessário, defina novas regras, faça o que for preciso para alcançar seus objetivos.

Entusiasta dos pequenos negócios, mantém um pequeno negócio de desenvolvimento de sites e um espaço de coworking. Compartilha ideias de como ser mais criativo e produtivo.